O que fazer em San Andrés – parte 2

Mais dicas e sugestões sobre o que fazer em San Andrés!

Continuando o post anterior sobre O que fazer em San Andrés, confira mais opções sobre os passeios que fizemos na ilha:

  • Mergulho de cilindro

  • Preço: 150.000 COP (preço de fev/2017, em torno de R$ 175,00)

Esse passeio não estava no nosso orçamento, mas quando nos foi oferecido foi impossível dizer não para a chance de mergulhar no mar do caribe!

Como eu sou uma pessoa super ansiosa, já marquei para o segundo dia na ilha, logo de manhã!

Atenção: não deixe para mergulhar no final da viagem, pelas normas de segurança é preciso esperar 24h após o mergulho para embarcar em um avião.

Fiz o mergulho com a Sharky Dive Shop, mas agendei pelo Kramelo. Eles te buscam de carro na pousada/hotel e levam até o local do treinamento antes de irmos para mar aberto.

Eu tinha mergulhado de cilindro uma única vez em Porto de Galinhas, e depois da super aula que tive com a Sharky, vi que poderia ter morrido no nordeste, rs.

Iniciamos com um treinamento teórico e o instrutor nos ensinou muita coisa (em Porto de Galinhas não foi passado nem 50% dessas informações) e depois fomos praticar na piscina, aprendemos a desembaçar os óculos já embaixo da água, a tirar e colocar o respirador embaixo d’água (caso escape, não precisaríamos entrar em pânico) e quando estivéssemos seguros era só nos jogarmos no mar!

Estávamos em um turma grande e entraram 3 instrutores conosco no mar. E o que eu mais me encantei é que eles nos deixavam livre para nadar (sempre os seguindo, é claro), mas com a segurança deles estarem por perto e conferindo a cada minuto se estava tudo bem conosco!

E se lembram do exercício de tirar o respirador na piscina? Será que eu tive coragem de testar em alto mar?….hehe (é difícil eu não topar um desafio!)

O percurso no mar dura em média uns 30 minutos, primeiro descemos uns 5 metros e depois mais 5, totalizando 10 metros de profundidade. A vida marinha impressiona e fascina!

Eu já era apaixonada por mergulho, depois dessa me apaixonei mais ainda!

Ah, no final ainda ganhamos um lanchinho com cookies e água!

#DicaOPM: Reserve metade de um dia para esse passeio e agende já nos primeiros dias! Escolhemos a parte da manhã, pois o treinamento dura em média 1h e o horário que entrássemos no mar seria no pico do Sol, iluminando ainda mais nosso tour marinho.

  • Tour pela ilha

A ilha é pequena e até seria possível fazer esse tour a pé com muita disposição e força de vontade…mas a vontade de dirigir o carrinho de golf falou mais alto!

Muitos dão a dica de fazer esse tour logo no começo da viagem,mas marcarmos todos os passeios prioritários nos primeiros dias e fizemos o tour no meio da viagem e de nada nos arrependemos!

#DicaOPM: Reserve um dia inteiro para esse tour, a volta na ilha é rápida, mas cada parada merece ser curtida e aproveitada ao máximo!

Alugamos o carrinho de golf por 100.000 COP – das 8h às 18h, valor já com gasolina e não precisa reabastecer na devolução. Várias pessoas preferem a mula, que é um carrinho maior e mais robusto e que anda um pouco mais rápido, mas custa em média 120.000 COP + gasolina. Como no final chegaríamos no mesmo lugar e a pressa não nos pertencia nessa viagem, resolvemos pegar o carrinho de golf que nos atendeu perfeitamente!

*Não é preciso ter carteira de motorista. Preenchemos apenas uma ficha com nossos dados, onde estávamos hospedados e recebemos a chave.

Partimos do centro, alugamos no Naranja Mecanica, em frente ao Hotel GHL Sunrise e fizemos o tour sentido horário com as seguintes paradas:

  • Rocky Cay

A praia de Rocky Cay é de frente à ilha que leva o mesmo nome! É uma praia mais sossegada e perfeita para fugir um pouco da badalação do centro.

Há armários para guardar os pertences por 5.000 COP e é possível utilizar o Day Use do Hotel Decameron por 45.000 COP (incluso almoço, bebidas à vontade e snacks) ou usufruir da estrutura do Aqua Beach Club que você só paga o que consumir e se consumir no mínimo 20.000 COP o estacionamento é gratuito.

No tour de volta a ilha passamos muito rápido em Rocky Cay e acabamos voltando outro dia de ônibus mesmo e passamos metade do dia lá. Acabamos não usando nenhuma estrutura, apenas o armário que guardamos tudo e fomos nadando até a ilha de Rocky Cay (lá no fundo da foto) que é possível ir a pé. Lá tem um navio naufragado que compõe o cenário e levando o snorkel é possível ver alguns corais e muitos peixinhos.

  • Playa de San Luís

Passando pela praia de San Luís foi inevitável ver aquele mar azul infinito e deserto e não fazer uma parada! Paramos o carrinho de golf na calçada mesmo e esticamos a canga na areia, parecia que a praia estava somente para nós!

Por não estar no centro, essa praia é menos movimentada e só havia um quiosque com bebidas. Mas a beleza é indiscutível e nos conectamos tanto a ela que nem tiramos foto, rs.

  • La Piscinita / Preço: 4.000 COP (preço de fev/2017, em torno de R$ 4,65)

É o lugar perfeito para fazer o snorkel! Já levei o meu snorkel do Brasil e carreguei pra todo lugar, mas na Piscinita foi o melhor uso dele!

Na entrada, você já paga a taxa e ganha dois pedaços de pão para jogar para os peixes…é tanto peixe que nem precisava do pão, rs.

Ficamos um bom tempo por lá nadando e tentando nos socializar com os peixes haha.

  • West View / Preço: 4.000 COP (preço de fev/2017, em torno de R$ 4,65)

No West View a taxa também é paga na entrada, porém não é o lugar ideal para snorkel, pois não tem muitos peixes para olhar. Lá a diversão é outra: tobogã e trampolim, tudo isso caindo direto em alto mar.

E quando se trata de tobogã, o Ura é apaixonado e perdi as contas de quantas vezes ele desceu por lá, rs.

Confesso que no trampolim deu um medinho quando cheguei na ponta…mas a chance era única e eu precisava pular! É libertador e acabei repetindo a aventura!

Tem umas cadeiras de madeira estilo de praia espalhadas que foi a deixa para deitarmos e curtirmos o pôr-do-sol de lá mesmo!

Voltamos com calma para o centro, curtindo a vista e até eu peguei no volante! (O Ura me incentivou e foi super corajoso rsrs).  O carrinho de golf deve ser entregue obrigatoriamente às 18h, pois o carrinho não possui faróis e neste horário já está escurecendo.


O que achou de nossos passeios?

Tem dúvidas? Nos envie uma mensagem nos comentários!

Gostou do nosso post? Compartilhe com seus amigos!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

24 pensamentos em “O que fazer em San Andrés – parte 2

  1. Tô louca pra conhecer San Andres e fiquei fascinada que eles deixaram vocês nadarem sozinhos, amei!! A água é gelada? O que fiz em Arraial tinha que ser com roupas Neoprene, senão a gente congelava lá em baixo.. rsrs

    1. Olá Jacque!

      Como na ilha é muitoo quente, a água não é nada aquele absurdo de gelada.
      Não senti frio em nenhum momento hehe

      Abcs,
      Pri

  2. Esse Lugar é incrível, essas fotos do mergulho nem parece que tem água parece uma montagem, ah queria ver fotos do navio que citou, e depois dessa aventura toda ganhar um lanchinho é a melhor caisa hahahaa

  3. Que delícia relembrar San Andrés! Não fiz o mergulho… o namorado queria, mas eu não aprendi como tirar a pressão e acabo sentindo muita dor, acho que vou fazer um curso para aprender melhor. Eu também adorei a La Piscinita, e concordo: com aquele monte de peixes eu nem precisava de pão… aliás, levei várias mordidas de peixe quando fui dar o pão rsrs… bjs

  4. To doida pra ir pra Colombia no final do ano e queria muito acrescentar San Andres, depois de ler tudo isso ainda, fiquei com mais vontade. Vou pensar nisso com carinho e se tiver duvidas, vou te pedir ajuda hehe

  5. Não sabia que tinha tanta coisa pra fazer em San Andres! A sensação que dá é que as ilhas caribenhas reservam sempre belíssimas praias, mas atividades um pouco repetitivas… Arrasou!

  6. Ai que delícia… eu fui pra Isla Baru, na Colômbia, mas ainda não conhecemos San Andres. Quando formos, certamente faremos um mergulho de cilindro! Quantas fotos lindas… a agua eh clarinha, ne? Adorei o post. beijao

  7. San Andres é o único mar do Caribe que eu conheço e sinto saudade dele todos os dias!!! Adorei suas dicas… tive um pouquinho mais de sorte que você pois la piscinita estava bem vazia quando fui!! O post está super legal!! Parabéns

  8. Sou louca para conhecer SAN Andres e toda vez que leio a respeito me apaixono mais! Sou louca por mar e não tenho como não me apaixonar pelo seu post, cheio de imagens lindas e dicas ótimas.

  9. Uau! O mergulho com cilindro super em conta, aqui os preços sao bem mais caros ne ? Olha só, depois de ler esses 2 post sobre esse paraíso, subi o destino na lista. Parabens pelo post

  10. Pri, que delícia este seu passeio. Amei todas as dicas e já coloquei a página como favorita! Já estou garantindo as informações para uma futura viagem..

  11. Esse lugar é magnífico demais. Que vontade de me Teletransportar. achei as dicas incríveis e as fotos apaixonantes. Parabéns pelo post.

  12. Olá gostaria de saber se a média de valor diário é realmente aquele que passou inicialmente, uma média de R$ 170,00 ? Isso incluindo comida e passeios, desculpa a pergunta, pois estava esperando um preço maior, Outra coisa, pode me indicar uma hospedagem com um custo x benefício bacana, pode ser onde vc e seu namorado ficaram msm… Abrçs

    1. Olá Vinicius, tudo bem?

      Essa é uma média levando em consideração que não optamos por todos os luxos, mas com esse valor comemos super bem e fizemos todos os passeios que queríamos! A comida é barata e muitos pratos dá para dividir e os passeios mais caros são apenas o mergulho e o Parasail.

      O bom de San Andrés é isso mesmo, um caribe bom para o nosso bolso também, rs! Mas na média de R$ 170 por pessoa é apenas para comida e passeios (e ainda sobra!)

      Farei um post sobre hospedagem, mas adiantando ficamos na Posada San Martin, pertinho do centro, bem simples, mas com ótimo custo benefício.

      Abçs,
      Pri

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *